Gestão de Negócios

5 dicas para gerir o fluxo de caixa para pequenas empresas

fevereiro 6, 2019
Tempo de leitura 4 min

O sucesso e o crescimento dos pequenos negócios dependem do controle de todas as movimentações financeiras. Esse é um processo que requer apuração, projeção e análise dos valores a receber e a pagar. O fluxo de caixa para pequenas empresas cumpre esse objetivo e pode ser usado de forma estratégica, facilitando a tomada de decisões e tornando o orçamento mais eficiente.

Mas é importante destacar que o fluxo de caixa não deve ser entendido como o mero registro de valores movimentados. Ele precisa ser elaborado levando em consideração fatores como prazos para pagamento, controle de recebimentos, saldos, previsões, recursos investidos e nível de endividamento.

Vale a pena gerenciar todos esses dados. Quanto maior for o seu conhecimento sobre a saúde financeira do seu negócio, melhor será sua capacidade para lidar com problemas e aproveitar oportunidades. Neste artigo, apresentamos as principais dicas para facilitar a gestão do fluxo de caixa na sua empresa. Confira!

1. Separe as contas pessoais e da empresa

A regra de ouro das finanças empresariais é nunca misturar as contas pessoais com as da empresa. Essa é uma prática comum, pois aparentemente é possível ajustar os saldos depois. Mas não se engane, isso pode comprometer completamente o controle do fluxo de caixa. Mesmo que as retiradas do saldo do caixa sejam registradas, há sempre o risco de que valores deixem de ser computados. Além disso, as chances de que as reposições não sejam feitas corretamente são grandes.

2. Registre prazos e valores das contas a pagar e a receber

O fluxo de caixa depende dos registros de cada valor que entra e sai da empresa. Esse processo deve ser feito rigorosamente a cada nova movimentação. Assim, você garante que nenhum valor deixe de ser apurado. Além disso, essa prática viabiliza, também, o acompanhamento das alterações no caixa em tempo real.

E vale frisar: é fundamental registrar pagamentos e recebimentos que serão concretizados em prazos determinados. Dessa forma, se uma venda foi realizada com uso de cartão de crédito, é preciso considerar que o valor só será disponibilizado em conta corrente algum tempo depois. O mesmo vale para a negociação com fornecedores.

3. Faça a projeção do fluxo de caixa

Como os recebimentos e pagamentos ocorrem em prazos específicos, é importante controlar o que deve entrar ou sair do caixa diariamente. Isto é, você terá que projetar qual será o fluxo de caixa do dia. Essa projeção garante previsibilidade à empresa. De um lado, facilita a organização das despesas a pagar. De outro, fortalece o controle sobre recebíveis, evitando perdas.

4. Acompanhe bandeiras de diferentes cartões e máquinas

A escolha de cartões de crédito ou débito como meio de pagamento é cada vez mais frequente. O desafio para empreendedores que estão à frente de pequenos negócios é gerenciar adequadamente essas operações. Isso porque elas são intermediadas por diferentes bandeiras e operadoras. São muitos dados, prazos e valores a acompanhar. Por isso, estabeleça protocolos de acompanhamento que sejam efetivas e evitem que informações importantes se percam.

5. Use ferramentas tecnológicas para gerir o fluxo de caixa

As nossas dicas, aqui, demonstram o quanto é importante dominar informações para consolidar um modelo estratégico de fluxo de caixa para pequenas empresas. É aí que está a grande complexidade da gestão das movimentações. Muitos empreendedores, mesmo conhecendo bem a estrutura do fluxo de caixa, acabam se perdendo em meio a tantos dados.

Essa dificuldade, no entanto, tem sido reduzida com o avanço de ferramentas tecnológicas voltadas para a gestão financeira das empresas. O sistema mais básico de controle são as planilhas eletrônicas, que já são melhores do que fazer registros manualmente. Mas há, também, softwares e aplicativos cada vez mais sofisticados e capazes de automatizar boa parte das verificações que citamos aqui.

Sistemas desenvolvidos para gerir o fluxo de caixa para pequenas empresas são soluções práticas capazes de aumentar a lucratividade do negócio e reduzir custos e perdas. Busque recursos compatíveis com as necessidades da sua empresa e otimize processos, tempo e recursos.

Colocando em prática essas dicas sobre fluxo de caixa para pequenas empresas, fica mais fácil gerenciar o negócio como um todo. Continue no nosso blog e entenda como as movimentações financeiras influenciam a gestão de compras e fornecedores.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário